Nos últimos anos, as ocorrências de sobrepeso e obesidade vêm aumentando de maneira significativa no nosso país. Mais da metade da população brasileira está acima do peso. O excesso de peso é um fator de risco para as doenças crônicas não transmissíveis, como obesidade, diabetes, cardiopatias e câncer, que são as maiores causas de morte no mundo.

O tratamento dietético, aliado à atividade física, é a alternativa mais efetiva para o controle de peso, pois promove mudança de estilo de vida. No entanto, o tratamento para emagrecimento consiste em mais do que simplesmente calcular calorias. A elaboração de um plano alimentar de sucesso deve considerar fatores como preferências alimentares, necessidades nutricionais, rotina de exercícios e horários.
Cada indivíduo é único e possui suas particularidades. Algumas pessoas sentem mais fome em determinados horários, enquanto outras sofrem de compulsão alimentar. Existe também a possibilidade de que o individuo esteja consumindo pouco de um determinado nutriente, o que desencadeia o ganho de peso. Cada um desses aspectos deve ser levado em conta no momento da elaboração do plano alimentar. Em função disso, é necessário recorrer a um profissional habilitado que possa verificar as deficiências e excessos na alimentação que estão prejudicando o emagrecimento; caso contrário, não haverá sucesso no tratamento.